terça-feira, 15 de abril de 2014

A ‘PENA’

A ‘PENA’


A ‘pena’ sorriu ao teu olhar
E enrolou o desejo do teu sonho no voar
Ao beijo que merece a maciez dos teus lábios.

Nada é por acaso, talvez seja um acaso,
Mas foi amor primeiro e esse vinga sempre.
Livre está o teu engano, hoje sabes que és o espaço
Que preenche o branco dos dias e que dá cor à noite.

A pena brilha na tua boca
Como uma estrela que voa louca
De paixão pelos telhados ao vento.

Nada é por acaso, talvez seja um acaso,
Mas é o vento soalheiro e esse vinga sempre.
Livre é a leveza que abunda o teu regaço,
São rosas, milagre que te faz gente.

A ‘pena’ é musa inspiradora de vários,
A fada que te ama no momento,
Estima-a com todo o amor nos lábios.

© RÓ MAR

                                                           
 Imagem- Bellissime Immagini