sexta-feira, 20 de outubro de 2017

SER O QUE SOU, MAIS O QUE NÃO SOU E AINDA OUTRA VIDA!


Imagem - Bellissime Immagini 


SER O QUE SOU, MAIS O QUE NÃO SOU
E AINDA OUTRA VIDA!


Ah, quem me dera a mim, saber escrever
Em qualquer folha e sem tinta, compreender
E de olhos fechados a expressão humanidade!
Saber ler num abrir e fechar de olhos o mundo
Como quem o conhece mais que alguém!

Ah, quem me dera a mim não pensar nada e dizer 
Tudo, o que me vem à memória e vai pelo universo,
Sem ter que exercitar ciências, filosofias e a vida
Pela paleta de certa mensura (inventada por alguém).
Ser o que sou, mais o que não sou e ainda outra vida!

Ah, quem me dera a mim ser esculpido no ouvido
De todas as gentes (que sabem e que não sabem ler),
Permanecer audível todo tempo (vivido e não vivido)
E andar de boca em boca, ó pulo, avançando o mundo.
Ser o que sou, mais o que não sou e ainda outra vida!

Ah, quanta presunção a minha ousar tais sonhos
Numa folha de sílabas decalcadas à raiz de ti, Poeta!
Nunca serei a tua imagem, nem uma outra magenta,
Ainda assim, ouso pois amo-me e amo a humanidade. 
Dou de alma e coração tudo o que sei e os sonhos.

Ah, não há nada mais bonito que dar tudo,
O que temos e não temos (temos sonhos),
De mão beijada, não esperando mais que nada!
Repartir, os nossos sonhos, em prosa ou em verso
Com o mundo não é ser como tu, Poeta, mas, é ser.

Ser o que sou, mais o que não sou e ainda outra vida!

© Ró Mar